A importância das coisas

O que é realmente importante? Esta é uma pergunta que tem assombrado mentes brilhantes – e outras nem tanto – ao longo de toda a história da humanidade

O que é realmente importante? Esta é uma pergunta que tem assombrado mentes brilhantes – e outras nem tanto – ao longo de toda a história da humanidade. Filósofos, poetas, escritores, doutores e pensadores em geral. De tempos em tempos, entramos numa espécie de crise existencial – todos já passaram ou passarão por uma – e a perturbação certamente incluirá o pensar sobre o que é realmente importante.

 

Aprendi na vida que quando se tem uma questão difícil, a melhor maneira de examiná-la é mantendo uma perspectiva mais distante. E desde ai se pode avaliar melhor o contexto da dúvida, suas origens e implicações. Um exemplo: você deve uma quantia de dinheiro, um problema financeiro, uma dívida e faltam recursos para quitar o compromisso. Isso é ou não é importante? Com certeza, você que é uma pessoa honesta e correta dirá.

 

Depende, direi eu sem ser menos honesto e correto. E se você morrer? Qual a importância para você da dita dívida? Nenhuma. Passa a ser totalmente irrelevante, pelo menos para você. Por que? Porque algo de suma maior importância aconteceu que superou a própria importância da questão anterior. Além do que você não teria mais nada a fazer sobre a questão.

 

Digamos que você esteja com fome. Faz algum tempo que não come. Não se trata de ameaça à sua vida, apenas fome. Comer especialmente quando se esta com fome é importante para você, não é mesmo? Com certeza, diria você. Depende, insistirei eu. E se você esta num pais em guerra, no meio de um severo bombardeio, tudo ao seu redor incendiando e sendo demolido, qual é a importância da sua fome agora? Insignificante, diante da necessidade de se proteger e sobreviver fisicamente.

 

Como podemos perceber qualquer coisa perde a relativa importância quando o que é mais importante está em jogo. Quem sobreviveu a campos de concentração ou prisões severas concorda com isso. E o que poderia ser a coisa mais importante de todas? O resultado do jogo do domingo? Quem irá para a cadeia dentre os políticos corruptos? Qual o resultado da loteria? Qual a opinião que outros tem a seu respeito? Se você vai ou não ser aceito por determinado grupo? Qual a última da rede social?

 

Nada disso. O que realmente é importante é a vida. Se você estiver morto, nada mais importa. Só importa enquanto estiver por aqui. Então a vida é o que importa e é o que mais importa. Na verdade, é só o que importa, todo o resto é relativo. A vida é absoluta.

 

Assim, importe-se mais com o fato de que você ainda esta por aqui, acordou hoje para mais um dia. Importe-se mais com a chance, mais uma vez, de ver outras pessoas indo e vindo, de perceber a natureza, as nuvens, os sons, as músicas e vozes ao seu redor. Não são coisas banais e sem importância. Ao contrário, são provas de que você esta vivo. E não existe nada mais importante do que isso.

 

E por derradeiro, o modo como medimos vida é através do tempo. Dizemos tempo de vida. Portanto, importe-se com o que você faz do seu tempo pois é de vida que estamos falando.