Julio Okubo lança coleção especial com as raríssimas pérolas douradas

Cultivadas nas Filipinas, cada gema dourada leva cinco anos para ser produzida   Sinônimo de pérolas no país, a joalheria Julio Okubo (www.juliookubo.com.br) traz as mais raras do mundo ao Brasil. Produzidas por Jacques Branellec nas Filipinas,

Cultivadas nas Filipinas, cada gema dourada leva
cinco anos para ser produzida

 

Sinônimo de pérolas no país, a joalheria Julio Okubo (www.juliookubo.com.br) traz as mais raras do mundo ao Brasil. Produzidas por Jacques Branellec nas Filipinas, as pérolas douradas têm cultivo delicado e é justamente pela sua raridade que adornam joias exclusivas no mundo todo.

A união das preciosas gemas à expertise da joalheria na produção artesanal resultou na coleção cápsula de pérolas douradas, composta de 11 joias impecáveis que levam a pérola como protagonista.

São três colares, um bracelete, dois anéis e cinco brincos. Entre os destaques está a gargantilha articulada, joia única, feita em ouro amarelo, com 107 diamantes e pérola dourada 15mm. Desenhada para caimento elegante e confortável, se ajusta perfeitamente no colo (preço sob consulta). Outra joia da coleção de encher os olhos é a gargantilha em ouro branco, com 191 diamantes e pérola dourada 13mm (preço sob consulta).

Produção das pérolas douradas

Cada gema dourada leva em torno de cinco anos para ser formada pela ostra. Jacques encontrou nas Filipinas as condições ideais para sua produção, onde a salinidade, temperatura e poluição estão entre os fatores que fazem o ambiente ser perfeito para o cultivo das pérolas douradas. O processo se inicia na reprodução das ostras, uma em cada 1 mil Pinctada maxima possui o manto dourado necessário para revestir a pérola com a tonalidade tão desejada. As ostras são inseminadas em laboratório, aumentando de 0,01% para 5% a chance de fecundação. Após dois anos, é inserido um núcleo para a formação da pérola, que levará mais dois ou três anos para se formar. Ao longo de todo esse período, são realizadas 377 intervenções humanas na ostra, como limpeza manual, trocas de cestos e lugares, para garantir o estado adequado para a melhor produção possível.

De toda a produção, 30% serão douradas e apenas 10% serão douradas de tom intenso. Hoje são colhidas cerca de 6 mil gemas douradas por ano, número bem abaixo da demanda mundial, segundo Jacques. No Brasil, as pérolas douradas de Jacques são encontradas exclusivamente na Julio Okubo.