Liderança não é sobre estar líder. É sobre ser líder

Liderança ganha como definição o conceito de Marca Forte. Mas, no seu entendimento, o que define uma “Marca Forte de Liderança”? Ser promovido a um cargo de gestão não significa, necessariamente, se tornar um líder.

Liderança ganha como definição o conceito de Marca Forte. Mas, no seu entendimento, o que define uma “Marca Forte de Liderança”? Ser promovido a um cargo de gestão não significa, necessariamente, se tornar um líder. Um líder é contratado por ser a pessoa certa para desempenhar um determinado papel. Mas, ainda é comum ver nas empresas profissionais alçados à posição de liderança sem clareza dos ônus e bônus envolvidos na missão de gerir negócios e pessoas.

 

Muitos deles, respaldados apenas pela autoridade do título, isentos do compromisso de se construir dia a dia como Marca Forte de Liderança, são incapazes de liderar por influência. Não é à toa que 60% dos líderes falham nos seus dois primeiros anos de gestão (Folha de S.Paulo) e 83% acham que não têm uma Marca Forte que ajude a mobilizar e comprometer a equipe (Ponto de Referência).

 

Como conceito de liderança, a despeito das inúmeras definições que existem, cabe a soma de habilidades em processo de construção contínua, mas, algumas distinções justificam o sentido de liderar pessoas. Quando alguém desperta o desejo de se tornar líder, a despeito da posição que exerça, deve empenhar-se para conjugar seu objetivo com os objetivos para os quais foi designado. Identificar as necessidades e expectativas envolvidas e, sobretudo, honrar sua posição de líder diante daqueles a quem se dispôs a liderar. É comum ver bons profissionais assumirem a posição de líder, mas, despreparados, perderem sua credibilidade e serem demitidos ou convidados a se demitir pela inabilidade de liderar. Além de afastados do cargo, muitos também são surpreendidos ao saber que suas habilidades profissionais não foram suficientes como habilidades de liderança.

 

Nem todo gestor é um líder, de fato. A questão não é sobre estar líder. É sobre ser líder em tempo integral.

 

A diferença entre os dois? Um gestor tem pessoas que se reportam a ele. Um líder tem pessoas que o seguem, não por força do título, mas por escolha própria, com base na sua disposição em lidar com elas associada à força do seu caráter e atributos pessoais positivos que indicam sua virtude e abonam a reputação da sua Marca de Liderança. Líderes precisam ser mais do que seus currículos. Se competências abrem portas, o caráter pode fechá-las.

 

Liderança requer formação, mas, sobretudo conduta ética, transparência. Um líder cresce por meio de suas experiências e, com base nelas, adquire maturidade e ganha credibilidade para desenvolver pessoas a partir das próprias referências. Da sua força moral. As pessoas não confiam em palavras, confiam em ações.

 

A liderança se estabelece na autoliderança e adquire relevância nos padrões que o líder estabelece para si próprio como posicionamento nas suas relações de trabalho. Até porque, mais do que de críticas e bons conselhos, as pessoas precisam, mesmo, é de bons modelos para seguir, e alguém, na posição de líder, não pode exigir que seu liderado faça algo que ele mesmo não se disponibilizaria a fazer.

 

Construção de Marca Forte não é obra do acaso. Líderes que conseguem construir um referencial forte de liderança engajam por propósitos e destacam-se por fazer mais e ir além do que é esperado. Empenham-se e imprimem valor à visão, envolvendo e inspirando as pessoas a fazer a diferença, seguindo, juntas, uma mesma direção. A despeito dos desafios, legitima suas medidas, encontra a sua voz e constrói-se como referência por ser acessível e compartilhar o que sabe, honrando o compromisso de significar trabalho, não apenas como um meio de sobrevivência, mas, como sentido de autorrealização.

 

Coaching por Waleska Farias – Coach, Consultora de Carreira e Imagem | Matéria publicada na edição 109 da Revista Versatille