Roger Dubuis

  Se você se considera um conhecedor de relógios já deve ter ouvido as palavras “Excalibur”, “relógios esqueletonizados” e o nome de Roger Dubuis (1937-2017) aparecer na mesma conversa. Afinal, o relojoeiro, com base em Genebra,

 

Se você se considera um conhecedor de relógios já deve ter ouvido as palavras “Excalibur”, “relógios esqueletonizados” e o nome de Roger Dubuis (1937-2017) aparecer na mesma conversa. Afinal, o relojoeiro, com base em Genebra, não é um peso leve na indústria. Suas credenciais contam 14 anos na Patek Philippe desenvolvendo alguns dos mais complicados relógios, antes de abrir a própria oficina, em 1995, com o designer Carlos Dias, da Franck Muller. O resto, como todos sabemos, é história.

Distinguido por uma estética raramente tentada por outros, e o refinado movimento que só poderia vir de uma riqueza de experiência, o rótulo epônimo Dubuis construiu uma marca sólida no mundo da alta relojoaria. Todos os seus relógios levam o Selo de Genebra, uma classificação rigorosa que insiste que o produtor decore e faça o polimento de cada componente de uma peça, incluindo parafusos – entre muitas outras coisas.

 

É claro, Dubuis não teria concordado com nada menos que o melhor. Em homenagem ao empresário, designer, relojoeiro e visionário, confira algumas de suas melhores criações.

 

 

HOMMAGE MILLÉSIME

Dubuis começou a carreira com a pesada responsabilidade de restaurar os raros e frequentemente complicados relógios vintage, e isso tem permanecido um aspecto chave nos empenho com seu novo rótulo. O primeiro de seu tipo se baseia em um ébauche que combina uma mistura suntuosa incluindo um calendário perpétuo, cronógrafo e repetidor de minuto, todos os quais Dubuis teve que modificar para manter os requisitos do Selo de Genebra. Dois visores regressivos foram incluídos no calendário perpétuo, enquanto o manete de acoplamento do cronógrafo foi espertamente remodelado para o número 8 – um número icônico para a marca. Dentro da caixa grande, rosa dourada, de 60 mm está também um Calibre RD181 redesenhado.

 

EXCALIBUR SPIDER DOUBLE FLYING TOURBILLON

Para Roger Dubuis, mais era sempre melhor, então quando ele anunciou o Excalibur Spider Double Flying Tourbillon, os fãs ficaram extasiados. Duplicar era sempre uma força dele, e então seu famoso Excalibur esqueletonizado recebeu não um, mas dois turbilhões. Dentro do relógio de edição limitada negro revestido DLC de titânio com realces vermelhos há um calibre RD820SQ mecânico acionado a dar corda pelo movimento, que consegue uma reserva respeitável de energia de 60 horas apesar de ter que fornecer energia para dois turbilhões. Dois mostradores de segundos girando no sentido anti-horário reafirmam a abordagem não ortodoxa de Dubuis para o mundo da complicação.

 

 

EXCALIBUR KNIGHTS OF THE ROUND TABLE II WATCH

Maravilhas mecânicas à parte, Roger Dubuis foi também um grande fã do artesanato, e reconhecia seu impacto na fabricação de relógios. O potencial emotivo dos objetos — especialmente relógios — pode ser enorme, que dirá um mostrador que tem este diorama culturalmente significativo. Nesta peça, a imagem famosa é retratada via 12 miniaturas de cavaleiros de bronze posicionados à volta de um mostrador de jade negro delicadamente gravado. É claro, cada um dos cavaleiros está individualmente estilizado para representar acuradamente os mais confiáveis do bando de irmãos do Rei Arthur, mostrando a dedicação da marca em criar relógios avant-garde. A funcionalidade não é sacrificada aqui, o calibre RD821 automático ostenta uma reserva de energia de 48 horas, e é resistente à água até 50 m.

 

HAUTE HORLOGERIE por Raphael Andrade | Matéria publicada na edição 102 da Revista Versatille