Route Du Parfum

A VIAGEM FOI RECHEADA DE DESCOBERTAS INTENSAS EM LOCAIS MARAVILHOSOS. EXPLORANDO AS RAÍZES HISTÓRICAS E AS TENDÊNCIAS NA ÁREA DE PERFUMARIA   O perfume é uma arte invisível e misteriosa que revela ou esconde os segredos de nossa personalidade

ROUTE DU PARFUM

A VIAGEM FOI RECHEADA DE DESCOBERTAS INTENSAS EM LOCAIS MARAVILHOSOS. EXPLORANDO AS RAÍZES HISTÓRICAS E AS TENDÊNCIAS NA ÁREA DE PERFUMARIA

 

O perfume é uma arte invisível e misteriosa que revela ou esconde os segredos de nossa personalidade e de nosso humor. Mais conhecida como um “savoir faire à la française”, faz parte do patrimônio cultural da França. Porém, assim como o famoso croissant, o perfume não nasceu aqui. Essa arte foi acolhida, aprimorada e preservada pelos franceses em cidades como Montpellier, Grasse, Paris e também em Versailles.

 

Localizada no sul da França, aos pés dos Alpes mediterrâneos, a charmosa cidade de Grasse deu os primeiros passos na perfumaria no século 17, quando era, então, um centro da indústria de processamento de couro que precisava ser perfumado. Isso deu o impulso para a produção de flores na região de Provence que cresceram de forma esplêndida, entre as quais: rosa, jasmim, tuberosa… íris. Flores que podem ser consideradas verdadeiras obras-primas olfativas da natureza. Raridades!

 

No mês de maio floresce na região uma das sete maravilhas da perfumaria, a Rosa Centifolia que tem de ser colhida à mão logo nas primeiras horas da manhã, quando o pico aromático é mais intenso. Em seguida, é processada por empresas da região que transformam as delicadas pétalas em um precioso óleo. A rainha das flores está em voga no campo das fragrâncias desde o antigo Egito. Embora existam mais de 200 espécies, as mais utilizadas em perfumaria são a Rosa Centifolia, de Grasse, e a Rosa Damascena, da Turquia. Para extrair um litro de óleo essencial, são necessárias três toneladas de pétalas. O preço do litro? Cerca de 15 mil euros.

 

A cidade abriga o Museu Internacional da Perfumaria que tem acervo histórico único sobre o tema. O museu se soma às atrações dedicadas à perfumaria nessa cidade medieval, rodeada por pequenas vilas, como Saint Paul de Vence, frequentada, no passado, por jovens artistas como Picasso, Miró, Chagall e Calder.

 

Em Paris surgiram as primeiras perfumarias do mundo e, ainda hoje, surgem novos conceitos em perfumaria. Paris é, para sempre, a maior inspiração. Em um percurso pelos bairros mais elegantes da cidade visitei as perfumarias mais exclusivas e o recém-inaugurado Grand Musée du Parfum, verdadeiro palco de experiências sensoriais e artísticas.

 

Clique nas imagens para ampliar

 

O passeio promove uma imersão cultural indescritível, formada por um circuito lúdico e completamente interativo, que usa a tecnologia e dispositivos olfativos para deixar a visita bem mais emocionante e inspiradora. Um roteiro em que a orientação para explorar todos os recursos disponíveis é fundamental.

 

Ali é possível conhecer mais de 70 aromas diferenciados, além de vislumbrar todas as facetas da história do perfume, desde os tempos do antigo Egito até os dias atuais. Lugar emblemático da história do perfume na França desde o século 17, Versailles ainda é um ponto de encontro para os amantes da perfumaria.

 

A Cour des Senteurs, situada a 100 metros da entrada principal do Palácio de Versailles, é uma das paradas. Lá pude fazer uma viagem olfativa e didática em torno da história na Maison Parfum, além de conhecer uma seleção de plantas que se tornaram míticas no percurso até o jardim que esconde alguns ingredientes raros da perfumaria.

 

A poucos quilômetros do palácio visitei a Osmothèque, um lugar único no mundo dedicado à preservação dos perfumes mais importantes da história. Esse conservatório internacional dos perfumes abriga inventário de mais de três mil cheiros que datam desde o império romano, reconstituídos por grandes perfumistas. Museu vivo de cheiros, muitos dos quais já nem existem mais, como o perfume de Maria Antonieta, ou outros, ainda, que tiveram de ser modificados ao longo dos anos por questões regulatórias que acabaram restringindo o uso de alguns ingredientes.

 

Muito além daquilo que o dinheiro pode comprar, a viagem foi recheada de dias de descobertas intensas em locais maravilhosos. É como mergulhar num livro vivo cujo enredo versa sobre toda a cultura deste rico universo, explorando as raízes históricas e as tendências na área de perfumaria. A viagem foi realizada no mês de maio, com um grupo que teve experiências e a oportunidade de descobrir a origem de ingredientes raros que fazem parte da perfumaria, e mergulhar em sua história.

 

Diário de Bordo por Renata Ashcar, Especial da França | Matéria publicada na edição 98 da Revista Versatille